Entrevista aos Autores do livro de matemática Contas de Cabeça

Matemática - Entrevista Clube SPM

Autores Hélder Pinto e Cristina SilvaEste livro pode ser comprado por aqui...

 O livro "Contas de Cabeça" com o patrocínio da Federação Portuguesa de Futebol e da SPM é apresentado neste dia 14 de março, dia do pi. Para quem gosta de matemática tem neste livro um conjunto de exercícios que ligam a matemática e o futebol. Um livro a não perder. Leia aqui uma entrevista com os autores desta magnífica obra.

O livro de matemática "Contas de Cabeça" é...

Como indica o subtítulo, um conjunto de 50 desafios matemáticos de futebol. São enigmas matemáticos que têm o futebol como pano de fundo e procuram mobilizar competências matemáticas para a sua resolução. O objetivo não é mostrar aplicações práticas da Matemática ao Futebol, mas sim aproveitar o interesse generalizado pelo Futebol (o desporto-rei) para captar alguma atenção para a Matemática, principalmente entre os jovens, que tanta falta de afinidade têm com a disciplina (aquele "bicho de sete cabeças"). 

Porquê este título para o livro?
A ideia foi ligar os dois campos (Matemática e Futebol) numa só expressão. Por um lado, na capa do livro, a acompanhar o título, temos o jogador de futebol que cabeceia a bola por entre todos os números e símbolos, esperando que seja para um remate certeiro. Por outro lado, as "contas de cabeça" remetem de imediato para todos aqueles cálculos que fazemos desde os primeiros anos de escola. No entanto, o foco não é só nas "contas", é também em todo o pensamento que se faz "de cabeça", a interpretação de situações e a organização do raciocínio - que transversalmente é também desenvolvida pela Matemática (ou deveria ser...).
 
São 50 problemas sobre futebol. O que vamos ler neste livro?
Vamos ler enunciados diversificados construídos umas vezes sobre dados e situações reais e outras sobre contextos ficcionados que procurámos que fossem verosímeis. Vamos ainda ver várias adaptações de enigmas de autores verdadeiramente clássicos em Matemática, como Sam Loyd, Henry Dudeney ou Martin Gardner. Pretende-se que os desafios possam ser analisados em casa por aficionados e curiosos e desta forma os enunciados são acessíveis a quase todos os leitores. Já as resoluções envolvem diferentes níveis de conhecimentos, desde os mais básicos a alguns mais avançados, dando uma visão das potencialidades do raciocínio matemático na resolução de problemas. As propostas de resolução incluídas no livro são assim também uma mais-valia em todo este processo.

Os autores (vocês) gostam de futebol?
Hélder: Desde novo que me habituei a torcer pela minha equipa preferida e a colecionar os anuários futebolísticos de modo a acompanhar as estatísticas dos jogos e dos jogadores. Desde que sei ler que leio o jornal desportivo ao lado do meu pai. Neste momento, são já três as gerações que leem o mesmo jornal à vez. Como bom português também me habituei a fazer contas com o futebol quando estamos "à rasca" para obtermos os apuramentos para as grandes competições futebolísticas. Além disso, na juventude fui ainda defesa central no clube da minha freguesia; agora sou só adepto do meu filho e dos seus colegas.
Cristina: Não tenho jeito para a bola, mas quando é preciso até dou uma perninha nos encontros de família, onde todos jogam futebol! Acompanho os campeonatos em doses q.b. (na rádio, na televisão ou mesmo no estádio), desde que jogue a Seleção ou o meu clube de simpatia. Disfruto do espetáculo do momento, mas sou bastante desmemoriada, o que afeta um pouco a condição de verdadeira adepta.
 
A maior dificuldade para fazer este livro foi...
criar enunciados que não fossem demasiado «rebuscados». Em primeiro lugar, fizemos um grande esforço para que os enunciados fossem percetíveis a quase todos, mesmo a quem não tem grandes bases de Matemática, isto é, que não fosse preciso saber nada de Matemática para se perceber o que é perguntado no enunciado. Por outro lado, tentámos que os problemas fossem verosímeis e que não parecessem saídos de um qualquer manual escolar. Fizemos ainda o esforço de incluir alguns enigmas em que o enunciado fosse muito simples e direto, mas que a Matemática envolvida na sua resolução não fosse trivial.
 
Como surgiu esta oportunidade com o patrocínio da federação portuguesa de futebol?
Numa altura em que andávamos à procura de editora para o nosso livro, a FPF abriu candidaturas a propostas para uma coleção de livros que iria promover, abrangendo diversas áreas. A nossa proposta foi aceite e, depois de alguns ajustes ao documento original, todos concordámos que seria uma boa parceria.
 
Vamos a contas! O resultado deste projeto é...
bastante positivo para todas as partes, julgamos. O nosso projeto materializou-se e ganhou visibilidade. A FPF e a SPM iniciaram uma parceria que esperemos que seja bastante proveitosa. Quanto aos leitores, desejamos que recebam estes desafios com o entusiasmo do Futebol e a perseverança da Matemática.

Por Carlos Marinho

 

Publicado/editado: 14/03/2018