O matemático Girolamo Cardano por Carlos Marinho
Clube de Matemática SPM - Símbolos & Figuras
Publicado a 24 de Setembro de 2017

O matemático Girolamo Cardano por Carlos Marinho

Clube de Matemática SPM - Símbolos & Figuras

 

Clube de Matemática SPM

Facebook Clube SPM

O matemático Girolamo Cardano nasceu em Itália a 24 de setembro de 1501...


                


Girolamo Cardano nasceu em Itália a 24 de setembro de 1501. O seu pai, Fazio Cardano, foi um conceituado advogado da cidade de Milão. Apesar de exercer advocacia, era um verdadeiro apaixonado pela matemática. Fala-se que Fazio teria sido consultado por Leonardo da Vinci sobre conteúdos de geometria. Quando tinha perto de 50 anos, conheceu Chiara Micheria, uma jovem viúva com cerca de 30 anos, mãe de Cardano. 


Cardano licenciou-se em medicina aos vinte e três anos, em 1524 na universidade de Pádua. Após a morte do seu pai e, apesar de ter recebido uma pequena herança, viria a ter problemas financeiros. Cardano começou a participar em jogos de sorte: jogos de cartas; dados e xadrez. Foi a maneira mais simples e rápida de obter dinheiro fácil, que o ajudou a sobreviver. Os conhecimentos avançados em matemática, em particular, no capítulo das probabilidades permitiam-lhe ter uma enorme vantagem sobre os seus adversários de jogo. Em pouco tempo, o jogo passou de prazer a vício perdurando durante longos anos. Este modus vivendi retirou a Cardano demasiado tempo, tempo esse que deveria ser usado na exploração das suas capacidades extraordinárias para a matemática, perdendo com essa atitude dinheiro e reputação.  

Cardano concluiu o seu doutoramento em medicina em 1525. Candidatou-se para  exercer no colégio de médicos em Milão onde a sua mãe ainda vivia. O colégio não o queria aceitar porque tinha a fama de ser uma pessoa difícil e complicativa, apesar do respeito que adicionou como estudante excepcional. Tal requisito não terá sido suficiente.                 

Anos mais tarde, Cardano com um pouco de sorte à mistura, consegue o mesmo trabalho que o seu pai, na fundação Piatti em Milão. O que lhe permitiu ter tempo livre para exercer outra atividade, a de médico. Tratou alguns pacientes, apesar de não ser um membro do colégio dos médicos. Terá conseguido algumas curas quase miraculosas, fazendo crescer a sua reputação enquanto médico.                 


Uma das histórias mais apaixonantes entre dois matemáticos, foi a relação de amor/ódio entre Cardano e Tartaglia. Ambos constroem uma relação conturbada, marcada por amizade e hostilidade, que caminhou a um derradeiro e inevitável desafio. Cardano apercebendo-se que Tartaglia conhecia a regra de resolução das equações de 3º grau, conseguiu ser informado com a promessa formal de não a divulgar. Apercebendo-se que o bolonhês Scipione del Ferro tinha aparentemente descoberto a fórmula, considerou-se desligado do juramento, divulgando-a como obra sua. Com este incidente ganhou em Tartaglia um inimigo mortal, cujos escritos muito contribuíram para espalhar a lenda de que Cardano era desonesto e um corrompido. 


Cardano morreu na capital italiana, a três dias de completar 75 anos. 
                                                                                                            

                                                                                                           Por Carlos Marinho